segunda-feira, 19 de abril de 2010

Para uma Montanha Vazia

Ah, se não me canso de contemplar,
essa tua grandeza, ó gigante rochedo!
Coloco-me diante de seus pés e
admiro, a grandeza e imponência
dessa montanha que toca o céu.

E dentro de ti carrega esse nada
de sua existência rochosa.
Tão admirável e inabalável é
esse seu vazio sábio!
De algo que está acima das nuvens,
e faz com que qualquer ser pareça
apenas um breve suspiro da natureza.

A simplicidade de ser, a beleza
de existir, nesse modesto vazio!
A ausência do tudo, a presença do nada,
Ah, como almejo essa sua beleza
Montanha Vazia!

2 comentários:

Joao disse...

vazia mesmo? ou é so impressão, a partir do momento que o vazio é sabio ele não está mais vazio, belo poema meu caro =]

Helena W. Brandão disse...

Lindo poema. Cada poema é um pedaço seu, todos lindos.

Postar um comentário