segunda-feira, 3 de maio de 2010

Vida

Atirar-se de peito aberto
Ao precipício da vida
Amar loucamente a existência,
E sofrer sem arrependimento.
               Voar
          Voar
     Voar
Voar

E morrer feliz ao se espatifar!

11 comentários:

Tanya disse...

Gostei!!!
Comentário meio inútil, mas ok!
beijo

Juan Moravagine Carneiro disse...

" A estrada do excesso, leva ao palácio da sabedoria" (William Blake)

indivídua disse...

as pedras sempre são o último abrigo

Ígor Andrade disse...

Meu amigo, eu gosto dos seus escritos, apesar de não comentar tanto.
Grande abraço!

Bridge disse...

Eu aaaaamo esse!

Helena W. Brandão disse...

Ótimo! =)

pablorochapoesias.com disse...

Na verdade só pode morrer quem vive. E viver é algo mais que biologia!! Adorei!

Abraços!

Gian Le Fou disse...

Só queria amar minha existência.

Cristiano Contreiras disse...

Um voo pela transformação? ok, combinado!

Ronan Augusto disse...

aproveite-mos enquanto nas quedas da vida,
pois um dia nem isso nós teremos mais.

parabens, os versos cumprem a
simplicidade do vazio e a grandeza da montanha.

http://valedosuicida.blogspot.com/

C.Beê! disse...

ooo
que legal ^^
gostei do efeito; voar
voar
voar
e se espatifar
:)

Postar um comentário