segunda-feira, 14 de junho de 2010

Discurso de um Louco

Ah! Felizes somos nós,
Que, errantes, criamos e recriamos
As nossas próprias realidades,
e tememos ser absorvidos pela cultura.

Em meu mundo delirante, finalmente
encontro a quem amar e investir
tudo aquilo que possuo dentro de mim.
Construo aquilo que quero, fantasio
tudo o que não me apetece.

Colorido, desbotado, se tornam
as cores da minha psiquê, como
eu desejar, para quem quiser.
Protejo e protesto e procrio
Sempre essa minha errância,
que desabrocha na minha instância
mais profunda, e onde eu finalmente
vivo, mas não sozinho

Mas comigo mesmo.

6 comentários:

Nathalie disse...

A cada dia que venho aqui parece que vc está mais inspirado, hum?
Seus poemas são lindos. :)

Vanessa Souza Moraes disse...

(Con)viver é o diabo, dizia Sartre.

Belo escrito.

Angelo Rodrigues disse...

Valeu, Daniel!
Seus poemas têm espírito e profundidade.
Abraços poéticos.

Maria Luísa disse...

por que não há melhor compania q o nós mesmo, e melhor lugar q o nosso mundo...

Lilian disse...

E temos tudo.
=*

elry disse...

"finjo que não fantasio, e fantasio, fantasio..."

Postar um comentário