quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Versos de Fantasias

Peço aqui uma licença poética,
Explico.
É que as coisas tem acontecido
tão rápidas!

Meus jovens olhos já não acompanham
a velocidade dessas fantasias
Que desfilam, alegóricas em minha mente.
Tão megalomaníacas e sedentas por sair
da ponta de meu lápis
que já não sei mais como expressá-las.

Continuo atordoado, com essa enxurrada
de projeções imaginárias.
Nada mais são do que um manifesto
Da minha própria inconstância.

Ah, se eu pudesse expressar tudo
o que se passa em mim!
Se minha cabeça por um momento rompesse
a barreira do imaginário...
Essas alegorias grandiosas de minha mente
desfilariam pelas ruas,
Gritando e clamando por carnaval.